Sports

Supercopa é suspensa por violência e Arturo Vidal explode: “No Argentina-Brasil eles se mataram e jogaram”

eua temporada de futebol voltou oficialmente ao Chile e o primeiro campeão do ano ainda não foi definido. Esse foi o resultado do incidentes gravíssimos ocorridos na Galeria Norte do Estádio Nacional do Chile que causou feridos e prisões, e que neste momento envergonha todo o país. Uma situação que deixou o futebol noutro patamar e que obscureceu o jogo que começou a ser disputado, mas que foi obrigado a suspender.

Alguns incidentes embaraçosos

Mais uma vez a violência venceu. Mesmo antes do início da partida, incidentes perpetrados por os integrantes do ultragrupo Garra Blanca com a ignição de faíscas e fogos de artifício. Embora não tenha sido a única coisa, já que Não foi respeitado o minuto de silêncio em homenagem às vítimas dos incêndios na região de Valparaíso e ao falecido ex-presidente do Chile, Sebastián Piñera. Um início de jogo que poderia prenunciar o que aconteceria mais tarde.

Ao intervalo os incidentes voltaram, obrigando a prorrogação do tempo regulamentar de 15 minutos. até que a situação fosse controlada depois de meia hora. Os atos violentos obrigaram as forças da ordem a agir, gerando fortes confrontos com os torcedores mais agressivos que estavam localizados na Galeria Norte. Uma ‘guerrilha’ que obrigou o árbitro a suspender momentaneamente a disputa da Supercopa e acabaria retomando a situação controlada, que não foi resolvida.

Que algo poderia acontecer novamente, todos os presentes sabiam. E aconteceu de novo. Um grupo de torcedores do Colo-Colo havia invadido a pista de atletismo do setor norte para colocar mais obstáculos no jogo. Até Arturo Vidal tentou acalmar a torcida, mas não surtiu efeito. Na verdade, já aos 78 minutos, o grupo de arbitragem declarou a partida suspensa definitivamente e saiu do campo de jogo, deixando o resultado da partida que o Colo-Colo vencia por 2 a 0 nas mãos da ANFP.

A violência não vence o futebol, era preciso terminar o jogo faltando 13 minutos para o fim

Arturo Vidal

Arturo Vidal, explode

Diante do ocorrido, Arturo Vidal, atual jogador do Colo-Colo, não se conteve e desabafou: “É uma pena, mas acho que A violência não pode vencer o futebol. Era preciso terminar o jogo, faltando 13 minutos para o final. Está com muita raiva. É evidente que estas coisas estragam o futebol, temos de analisar cuidadosamente o que aconteceu antes de mais nada. Mas isto não pode continuar a sujar o futebol. Essas coisas não podem ser tão graves no nosso país, em outros lugares há coisas piores e continuam brincando. Isso incomodou muito, nos deixou muito tristes porque queríamos ser campeões, treinamos muito, estávamos fazendo um grande jogo e terminar assim é muito feio. Espero que a ANFP tome conta. Queremos ser campeões dentro de campo”, disse o jogador.

Algumas declarações às quais acrescentou outras quando o jornalista o questionou: “Noutros locais há outras medidas que aqui não aprendem. Aqui lavam as mãos e querem parar os jogos, continuam a sujar o futebol. seja responsável nessas coisas, analise bem o que aconteceu. No intervalo eles nos contaram (o que teria acontecido) mas depois, Quando o segundo tempo começou, o jogo tem que terminar“ele continuou dizendo.

Na Argentina – Brasil eles se matavam e continuavam brincando; por que aqui no Chile eles são tão sérios

Arturo Vidal

Na Argentina – Brasil eles se matavam e continuavam brincando; por que aqui no Chile eles são tão sérios. O árbitro queria jogar, o Huachipato queria jogar. Isso vai sair para todos. “Ficamos todos tristes porque queríamos jogar”, concluiu, comparando o incidente ao jogo entre Argentina e Brasil, no dia 22 de novembro, no Maracaná.



Source

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button